Insight

Criando um ecossistema móvel com foco no usuário

A mobilidade está incluindo cada vez mais pessoas que, quando se tornarem totalmente habilitadas, serão responsáveis por uma nova era dentro do espaço móvel.

February 26 2016

A mobilidade se tornou um mercado global interconectado com várias pessoas competindo pela supremacia. Uma corrida para aumentar cada vez mais o número de usuários, criar formas inovadoras de aparecer no mercado, vender e manter o consumidor satisfeito. Com isso, também teve início uma competição por velocidade, uma maratona e uma codependência - a única variável não planejada decorrente de tudo isso.

Hoje, os usuários valorizam a conveniência acima de tudo, porque está sendo oferecida. Começar a direcionar e centralizar os serviços no usuário não foi algo inesperado, já que as pessoas não costumam recusar benefícios e comodidades . No entanto, o ponto principal aqui é apostar na mobilidade para se ter mais conveniência, acabou impactando na evolução dos bens de consumo.

Evolução impulsionada pelo usuário

Como usuários, inevitavelmente nos deparamos com experiências na Web cada vez menos atrativas. Hoje, queremos que os serviços estejam acessíveis instantaneamente. É por isso, que a Netflix está tornando a pirataria de filmes obsoleta. Por sua vez, a segmentação de serviços por si só, resolve um determinado tipo de problema e é só o ponto de partida dentro do deste cenário que está em franco crescimento.É preciso utilizar outras plataformas para lançar diferentes soluções presentes no seu negócio. É por isso, que ao invés de criar a sua própria base de usuários, as empresas passaram a usar aplicativos de mensageria para alcançar o maior público possível em tempo real. De forma parecida, a autorização de serviço com base no Google facilita aos usuários o acesso aos serviços e aplicativos que não são do Google.

Essa nova evolução é focada no usuário e, independentemente do objetivo final ser o aumento dos rendimentos dentro do ecossistema, teve início, porque os usuários têm um limite na extensão da sua atenção digital que estão dispostos a gastar em suas experiências.

Com isso, a mobilidade se tornou o novo desktop, só que este está disponível enquanto eles estão em movimento, e os usuários passaram a ser bombardeados com informações constantes que capturam a sua atenção imediatamente. Temos lojas de aplicativos saturadas e serviços inovadores que mostram que ainda há muito por vir e que todos estão competindo por mais atenção. Como tudo é móvel e como os usuários recebem informações constantemente em qualquer lugar, os negócios precisam criar envolvimento, conteúdo exclusivo e totalmente integrado às atividades diárias de seus usuários. Caso contrário, os usuários os esquecem. A atenção do usuário é essencial, o que torna a conveniência também essencial. Esse também é o porquê preferimos uma relação benéfica mútua, a falta de conveniência oferecida por muitos provedores de serviço.

Ainda assim, esse é apenas um ponto dentro de todo o ecossistema móvel. Como podemos elevar essa experiência para um nível global e incluir todas as pessoas que, quando se tornarem totalmente habilitadas, serão responsáveis por uma nova era dentro do espaço móvel?

Conectando o ecossistema

Primeiro, é um desafio se tornar global. Como as empresas podem continuar com essa relação simbiótica umas com as outras e oferecer serviços convergentes para um público de usuários globais, através de uma mídia móvel que já foi altamente focada em fornecer tudo que os usuários precisam no momento correto?

Para resolver isso, precisamos verificar novamente o processo, que não foi totalmente inclusivo durante a mudança para móvel. A maioria dos que participaram deste processo, como as operadoras, não tinha todos os recursos necessários, o que levou à interrupção do ecossistema e à diminuição da satisfação do usuário. Empresas, startups e plataformas inovadoras previamente estabelecidas precisaram oferecer seus serviços para usuários que, por definição, também eram usuários das operadoras locais. As operadoras, por sua vez, precisaram monetizar e controlar os dados e o tráfego baseado em GSM que passavam pela sua rede. No início, em vez de trabalharem em conjunto, houve muito desentendimento. Foi quando plataformas especializadas surgiram, apresentando parcerias comerciais confiáveis, capacitando as redes das operadoras com mais segurançae minimizando o spam e a fraude. Essas empresas especializadas adicionaram valor a ambos os lados do ecossistema ao trazer barreiras tecnológicas entre as tecnologias de telecomunicação e empresariais. Agora, a mobilidade está realmente conectada.

BaaS - Modelo de cooperação que pode preencher a lacuna entre as operadoras e as empresas

No entanto, a criação da ponte tecnológica entre as operadoras e empresas foi apenas a primeira etapa. Para gerar oportunidades nunca vistas antes dentro do ecossistema, essa cooperação tríplice também terá que formar um vínculo codependente. Por quê? Porque apenas fazer a conexão não diminui todos problemas enfrentados por todos os envolvidos.

Para as operadoras, desenvolver e manter serviços orientados ao consumidor é uma tarefa que consome tempo e recursos, e que está tradicionalmente fora do objetivo geral de seus negócios. Além disso, aumentar os portfólios de consumidores e fornecer suporte de nível superior para esses tipos de serviço sobrecarrega os recursos da operadora. Por outro lado, garantir a entrega do serviço e ter uma plataforma realmente global para as empresas alcançarem os seus usuários é um problema que a maioria das companhias modernas quer resolver.

Através de anos de experiência e investimento em pesquisa, as empresas com especialização técnica mesclaram o desenvolvimento interno e incrementaram as relações existentes com as operadoras em todo mundo para satisfazer os requisitos atuais domundo corporativo, fornecendo serviços de alta qualidade com cobertura mundial. Agora, por meio do modelo de Business-as-a-Service, empresas como a Infobip estão se tornando modulares, aperfeiçoando a forma de intermediar assuntos e problemas relacionados às operadoras e empresas, incluindo desde a geração de tráfego de SMS A2P e consultoria especializada para aumentar as oportunidades no mercado até atender os requisitos corporativos modernos relacionados aos sistemas de TI e integração.

Essa evolução não otimiza apenas o sistema de distribuição móvel. Ela também permite que todos os envolvidos foquem na criação de serviços inovadores para os usuários finais.

Alimentando o ecossistema com uma arquitetura poderosa

Abastecer todo o ecossistema com uma ampla plataforma de conectividade não é uma tarefa fácil. Significa criar uma arquitetura de alto desempenho dimensionável que resolva a maioria dos desafios de comunicação. Também significa comportar enormes volumes de tráfego, enquanto suporta centenas de novos recursos destinados a incrementar a capacidade das empresas em criar experiências mais atrativas aos usuários. Unir tudo isso a ofertas da operadora, provavelmente significará um enorme avanço em termos de interconexão móvel.

Em uma época onde as regras dos usuários estão acima de qualquer coisa, as maiores plataformas de comunicação móvel são construídas no topo de todo ecossistema a partir de um trabalho em conjunto. E todos fazemos parte da criação de novos serviços envolvedores, que aumentem a experiência do usuário, supram a demanda do consumidor e alcancem universalmente a população mundial.