Produtos
Soluções
Meta Trends: inspire-se com as maiores tendências do Marketing para sua estratégia de comunicação

Meta Trends: inspire-se com as maiores tendências do Marketing para sua estratégia de comunicação

Conheça as principais tendências que podem afetar a sua comunicação empresarial com base em mais de 40 relatórios super conceituados.

Você já ouviu falar do relatório Meta Trends? Ele é uma espécie de síntese de outros 40 relatórios de tendências que são muito aguardados pelos profissionais do Marketing para ajustar suas estratégias e descobrir novas possibilidades. Ele é baseado em reports criados por empresas como Instagram, Accenture, Deloitte, We Are Social, Wunderman Thompson, WGSN entre dezenas de outras.  

Mas ok, o que esse compilado de tendências tem a ver com a sua empresa e a sua estratégia de comunicação com seus clientes? Bem, ao saber o que é tendência no mercado, você pode afinar melhor suas mensagens para que elas ressoem melhor com seu público e que tenham um engajamento melhor.  

Para te ajudar nós separamos as quatro tendências que você deveria ficar mais de olho porque podem influenciar a sua comunicação com clientes diretamente:

Principais Meta Trends para você ficar de olho e tentar inserir na sua comunicação: 

1. Inclusão radical e diversa

Você já ouviu falar na Geração Woke? Então você já deve saber que as empresas de hoje estão lidando com uma geração cujo estilo de vida é o ativismo social. Inclusive, a palavra “Woke”, que tem origem afro-americana, nos convida a estar “acordados” diante das injustiças do mundo e mostrar respeito às minorias e aos diferentes grupos étnicos e de orientação sexual.

Com isso, cada vez mais prevê-se que as comunicações empresariais sejam inclusivas para que sejam bem sucedidas e atinjam melhor as gerações que tendem ao ativismo político e social – como a Geração Z e a Alpha.

É importante frisar aqui que a inclusão vai muito além de escrever “todes” ou “todxs”. É realmente pensar em como incluir o máximo possível de usuários nas nossas comunicações, seja com linguagem inclusiva, legendas, na escolha dos tópicos abordados ou nos posicionamentos institucionais.

Não faz muito tempo que ao preencher um formulário você tinha apenas duas opões para estabelecer seu gênero: masculino ou feminino. Hoje, um formulário como este não seria aceito. É preciso repensar essas respostas pré-determinadas para que elas sejam mais diversas e abarquem mais pessoas.

Além disso, os clientes esperam encontrar um posicionamento de suas marcas favoritas em relação a datas comemorativas importantes (como Dia da Mulher, Dia do Orgulho Gay, Dia da Consciência Negra, entre outras). Ter posições claras sobre elas e sobre os acontecimentos do dia a dia se tornará um requisito essencial para os negócios.

Para isso, as redes sociais (como Instagram e TikTok) serão grandes aliadas das marcas que querem comunicar suas mensagens para um público mais abrangente e querem se aproximar de pautas de inclusão, ativismo e empoderamento.


Fonte: estudo da IDC a pedido da Infobip

Algumas palavras-chave a serem consideradas: diversidade, identidade de gênero, irmandade, sororidade, ativismo, direitos humanos, minorias.

2. Diversão como antídoto

É isso mesmo que você leu: diversão! Embora o tom bem-humorado das comunicações empresariais deva respeitar a tendências que enumeramos logo acima, será fundamental encontrar uma maneira de entreter e divertir os usuários para os atrair e engajar.

E não pense que essa tendência tem a ver apenas com marcas B2C. As empresas B2B também devem começar a se interar nesta tendência porque, afinal, o tomador de decisões de uma solução B2B também é um ser humano comum que, como todo mundo, clama por um pouco de diversão e leveza.

Então, seja através do uso de memes, tons editoriais mais leves e descontraídos ou incorporar avatares e tons de voz mais divertidos em seus chatbots, a tendência do futuro prevê centenas de risos nos rostos dos seus clientes.

Algumas palavras-chave a serem consideradas: memes, sarcarmo, diversão, dancinhas, risadas, descontração.

3. Consumo instantâneo

Sem dúvidas, a sede de imediatismo é uma característica que está cada vez mais arraigada em nossas culturas e, consequentemente, em nossos comportamentos de consumo – especialmente após a chegada da pandemia -, e na nossa (falta de) vontade de esperar por uma resposta de um atendimento.

É por isso que a comunicação empresarial deve apelar para o uso de automações e de diferentes tecnologias de ponta como realidade aumentada, inteligência artificial, aprendizado de máquina entre outras para entregar a velocidade e a qualidade que os usuários querem e exigem.

Pensando nisso, tecnologias como os chatbots podem ser aliados essenciais para o futuro das suas comunicações. Isso porque eles permitem que você reduza significativamente o tempo de espera para atendimento, a duração do atendimento como um todo e auxilie seus usuários 24/7 nos principais canais que eles usam.

E que tal se você automatizar não apenas seu chat de atendimento, mas também sua seção de perguntas frequentes (FAQ) com o uso de chatbots? Eles são uma forma conveniente de autoatendimento e conseguem entregar respostas ainda mais completas para diversos públicos.

Algumas palavras-chave a serem consideradas: omnichannel, imediatismo, automação, chatbots, conversacional, conveniência.

4. Digital por padrão, mas híbridos no coração

As fronteiras entre os meios digitais e físicos estão se tornando cada vez mais nebulosas. Por isso, o futuro da comunicação clama por modelos híbridos de interações e que consigam unir o físico e o digital para que eles coexistam em harmonia e experiência.

Essa ideia – que tem como um excelente exemplo a Oracle e sua Loja Conceito – é conhecida como Phygital e é uma das grandes tendências do varejo há alguns anos, mas que recentemente se tornou quase uma necessidade para a continuidade dos negócios.

Você pode até duvidar que essa tendência seja tão importante – afinal, as lojas físicas estão destinadas a desaparecer, não é mesmo? Muito pelo contrário! Segundo os números trazidos por uma pesquisa da IDC, a pedido da Infobip, apesar de o número de compras presenciais ter diminuído durante a pandemia, elas ainda representam uma fatia muito significativa do montante de compras no Brasil.

Fonte: estudo da IDC a pedido da Infobip

Algumas palavras-chave a serem consideradas: phygital, experiências híbridas, atendimento fluido, integração, omnichannel.

Conteúdos relacionados que você pode se interessar: